Seguidores

sábado, 31 de outubro de 2009

Os sonhos de Cinderela


Os sonhos de Cinderela



Sonhos impossíveis, promessas ao vento...
Coração despedaçado pelos dissabores da vida.
Noite escura, somente a luz do luar se percebe...
Aqueles olhos...
Uma reviravolta em sua vida. Dança comigo?
Peça de novo... Sua por uma noite? Suave melodia.
Interessante, charmoso, sexy... Impossível resistir.
Bela Cinderela reconhece, estremece... Impraticável.
Tão charmoso e sedutor quanto o pecado!
Meia-noite... Os mesmos olhos ainda a perseguem...
A fuga, inevitável! Sua única companheira, a lembrança.
Aqueles olhos...
O amor não espera convite.
Ele se apossou, sequestrou seu coração.
O que lhe resta Bela!?
Paixão atrevida... No jogo do amor todas as regras são quebradas.
Coração de cristal...
Perfeito para ele? Perfeito para ela?
Desejo de quem ama... Desejos do querer.
Seus olhos... Flerte fatal... Quanto mais te vejo, mais te desejo.
Tudo o que eu sonhei... Tudo que desejei.
Corações em sintonia, o amor se declarando seu.
Corações entrelaçados, o amor se declarando meu.
Peça de novo... Sua por uma noite?
Não, por toda vida.
Sonhos que se transformam em realidade.
Amor poderoso, guiando a bela Cinderela pelos caminhos da paixão...
Mantê-la segura por toda a noite,
E agora,
A manteria da mesma maneira ao lado do homem a quem amava.
Aqueles olhos... Presos definitivamente ao seu coração de cristal.


Débora Francis




Às vezes sonhamos com o amor impossível... Até, pensamos que ele é impossível. E para nossa surpresa, descobrimos que não é tão impossível assim...
"Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo? "( Fernando Pessoa ).
E quando ele surge, tão rápido como um raio de sol, nosso coração se encontra despreparado para tamanha felicidade. Pensamos que o que está acontecendo não é verdade, que é irreal.
"Duvida da luz dos astros, De que o sol tenha calor, Duvida até da verdade, Mas confia em meu amor." (William Shakespeare).
O amor existe, é tão real quanto o voou solitário de uma borboleta...
O amor acontece, é tão real quanto ás águas crepitantes de uma cachoeira...
O amor enaltece, é tão real quanto à luz brilhante do soberbo vaga-lume...
O amor distingue, é tão real quanto às cores diversas do arco Iris...
O amor se faz, é tão real quanto à construção da casa do João de Barro.
O amor... É tão real quanto o palpitar de meu coração quando te sente.

Débora Francis
Crédito das imagens:Google.